Quais são seus vilões?????

Por que amamos os vilões?

As vezes prefiro acompanhar uma HQ, uma série ou rever um filme pelo vilão e não pelo herói. E em paralelo com tudo o que vivo comecei a pensar se não faço isso no meu dia a dia, ou seja, será que acompanho pessoas ruins, más, pessoas que são tóxicas?

A minha maior referência é o Coringa. No filme O Cavaleiro das Trevas, onde o ator Heath Ledger interpretou de forma hiper-realista o palhaço do crime, eu torço por ele. Não preciso esconder que isso soa estranho e que não sou só eu que torço pro barco explodir (opa, mais de 10 anos! Spoiler?), mas comecei a procurar na minha cabeça em quais outras ocasiões eu torçi para o vilão e percebi que foram em muitas!

Acho que a ocasião mais marcante para mim foi em A Piada Mortal, onde Alan Moore retrata não só a maldade do Coringa, mas também como pessoas aparentemente normais podem se distanciar da sanidade com uma sequência de fatos que o seu meio lhe impõe. Há também uma HQ muito polêmica, do autor Mark Millar, chamada Nêmesis. Nela vemos um homem fantasiado extremamente rico, inteligente e habilidoso em lutas (lembra alguém? Batman?!! Hehehe) usando todas as suas vantagens para o mal. O roteiro nos faz torcer por ele, e não há na HQ nenhuma forma explícita de aproximação, tragédia ou drama que permita uma identificação mais concreta, apenas percebemos suaves insinuações. Há também o Sexteto Sinistro, os Thunderbolts, Esquadrão Suicida… E assim foram os poucos que eu lembrei rápido, pois são muitos.

Aí eu pensei: como isso afeta a minha vida, o que os vilões representam pra nós, consumidores desses entretenimentos?

Acho que o Hannibal Lecter pode definir, em certa parte, como convivemos com esses vilões. Sem perceber, acabamos por tê-los como pessoas de suma importância para a nossa sobrevivência social.

Acredito que toda forma de extravasar os nossos demônios através do entretenimento e dos personagens que se contrapõem ao senso comum do heroísmo, do bem, da normalidade, pode definir uma vontade oculta de se rebelar contra essa imposição social. Não estou afirmando que você tenha um vilão interior, mas as regras uniformes para todos os seres de uma sociedade que tem tantas nuances, podem terminar desencadeando essa aproximação com o fictício que quebra essa corrente.

Fiquei tão interessado que vou tentar realizar uma matéria com alguém realmente capacitado pra responder essas questões. Enquanto isso, o que você acha, por que você ama aquele vilão X?

About The Author

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *